quarta-feira, 8 de agosto de 2007

ORIGINAL É O POETA


Original é o poeta
que se origina a si mesmo
que numa sílaba é seta
noutro pasmo ou cataclismo
o que se atira ao poema
como se fosse um abismo
e faz um filho ás palavras
na cama do romantismo.
Original é o poeta
capaz de escrever um sismo.

Original é o poeta
de origem clara e comum
que sendo de toda a parte
não é de lugar algum.
O que gera a própria arte
na força de ser só um
por todos a quem a sorte faz
devorar um jejum.
Original é o poeta
que de todos for só um.

Original é o poeta
expulso do paraíso
por saber compreender
o que é o choro e o riso;
aquele que desce á rua
bebe copos quebra nozes
e ferra em quem tem juízo
versos brancos e ferozes.
Original é o poeta
que é gato de sete vozes.

Original é o poeta
que chegar ao despudor
de escrever todos os dias
como se fizesse amor.
Esse que despe a poesia
como se fosse uma mulher
e nela emprenha a alegria
de ser um homem qualquer.

José Carlos Ary dos Santos
Imagem: Susana Ferreira, 1000 Imagens

4 comentários:

Papoila disse...

Originais são sempre as tuas escolhas. Uma caixinha de surpresas.

Beijos
BF

Um Momento disse...

Original és tu que me delicias qundo te leio
Dia lindo cheio de cor

Beijo... bem aí
(*)

avelaneiraflorida disse...

Ary!!!!!
POis claro! nem poderia ser outro!!!!
o desassombro da vida nas palavras que nos deixou!!!
Bjks, papagueno!

RIC disse...

Torrencial, vertiginoso, caudaloso e avassalador: Ary dos Santos!
Basta ler uns quantos versos e a identificação está feita.
Maravilha!
Obrigado! :-)