sábado, 18 de agosto de 2007

LISBOA


"Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco."

.
É pelas ruas de Lisboa que passa este disco.
Em companhia de Rodrigo Leão, Rui Reininho, Danças Ocultas, A Naifa, os The Gift, Mário Cesariny entre outros viajamos por uma cidade através dos seus, olhos, da sua música das suas palavras.

Lisboa é o primeiro disco da Lisboa Records e está integrado nas comemorações dos 25 anos do Frágil.

Entre as 12 faixas do disco podemos encontrar 3 poemas de Mário Cesariny, um dos quais recitado pelo próprio(faixa em audição)




PASSAGEM A LIMPO

O navio morto
que sobe a corrente
de que velho porto
era o adolescente?

Cingia-lhe a boca
água e nevoeiro?
Tinha muita, pouca
falta de dinheiro?

Bom barco, subido
aos da mor igualha,
tens o ombro ferido
até à fornalha

E puxado a cabos
- este rei de oceanos! –
por ginasticados
loiros namorados
a diesel e canos

Foi-lhe a estrela má.
- E se recomeça?
- Vamos aqui já
enterrá-lo depressa.

vai morto. não sonha.
Não grita. Não soa.
Saiu-lhe a peçonha
Pelo buraco da proa.

Poema: Mário Cesariny
Música: A Naifa

You Are Welcome to Elsinore - Letra

11 comentários:

Papoila disse...

Deixo-te beijos e escuto Cesariny nesta recitação ...linda

Beijos
BF

Maria Faia disse...

Olá Amigo,

Não conhecia este poema de Cesariny...
Gostei, embora nele sinta bastante tristeza e nostalgia. Mas, nestes estados de espírito, também se encontra certa beleza muito particular...

Beijo de Bom Domingo

wind disse...

grande Cesariny!
Estou ncantada!:)
Beijos

Um Momento disse...

Não conhecia...confesso
Mas confessoa também que gostei
Passei para deixar um beijo
(*)
Noite linda

pinguim disse...

Sucede com Cesariny algo que não foge muito à regra comum; é as pessoas só começarem a tomar verdadeiro conhecimento com a obra de um artista (e é mais vulgar na escrita), depois de ele morrer.
Cesariny era, é certo um vulto maior da cultura portuguesa, para não poder passar desapercebido, mas era-o de uma maneira muito "generalista", mais como o último representante do surrealismo português do que pela sua obra tão vasta como multifacetada; eu próprio me incluo nesse sentimento geral e apoós a sua morte o meu contacto com a sua poesia, principalmente, tem sido mais constante, pelo que não é uma critica, mas sim uma constatação, aquilo que afirmo.
Abraço.

gasolina disse...

Acho que me "vou oferecer" este magnifico presente...

Obrigado pela dica! Como sempre e desde que aqui venho, aprendo!

Quando é bom , é bom!

Beijinhos, excelente fim de semana no teu Bairro

avelaneiraflorida disse...

Papagueno,
mais um poema LINDO de Cesariny...e poderia ser o contrário?!

Um BOM DIA, PARA TI!
Bjks

Um Momento disse...

Hoje trago um revinho de 4 folhas
Passa lá em casinha sff:))
Bom Domingo
Beijinho

(*)

Um Momento disse...

Ops Trevinho*

(*)

Mário Margaride disse...

Belo poema de Cesariny.

Bom Domingo

Um abraço

RIC disse...

Excelente a música seleccionada, meu caro! Parabéns!
A eterna dupla: Mário Casariny e os seus marinheiros - os «ginasticados loiros namorados»...
Obrigado!
Um abraço! :-)