domingo, 20 de maio de 2007

SEDE


Horizonte
de zeros
nebulosos

todos os rostos
que não são
o teu

Um dia
sem ouvir
a tua voz

é como descobrir
que o mar
morreu.

David Mourão-Ferreira
Visto no: Webclub

9 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Esta É a sede!

Uma excelente escolha! Com é habitual...

Um bom domingo!
Bjks

wind disse...

Tão linnddoooooooooooooo:)
A foto é também excelente para o poema:)
Beijos

Antonio Delgado disse...

Amigo Papagueno,não podia fazer melhor acasalamento entre a imagem e a palavra. neste caso nenhuma dos meios supera o outro, ambos são suberbos. Depois e para mim,tanto a foto como o poema, tem essa clareza que todos entendem e identificam tal como devem de ser todas as obras de arte. Inegavelmente estamos perante duas.
Parabens e obrigado por este belo começo de domingo que em Lisboa se apresenta um pouco chuvoso.
Abraço fraterno
Antonio Delgado

Alma Nova disse...

Mais um excelente poema. A ausência, a saudade...a carência. Sentimentos tristes mas sempre tão liogados ao amor. Jokitas.

Mário Margaride disse...

Belíssimo poema de David Mourão Ferreira...

E com uma bela foto a ilustrar!

Bom Domingo, e um grande abraço!

Gi disse...

Sou suspeita a falar de DMF é um dos meus eleitos :) às vezes até acho que abuso ...

Óptima escolha. Um beijinho e resto de um bom domingo

P.S. aso não tenhas reparado já existia umm pequenos nadas antes deste , está nos links com a indicação de 1º . Foi lá que ficou um bocadinho de mim.

Maria disse...

Tão bonito... Foi este Senhor que escreveu Um Amor Feliz. Só podia...

Beijinho, Papagueno.

A. Jorge disse...

Simplesmente fabuloso!

Um abraço

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

Moura ao Luar disse...

Ai que lindoooo e o tempo cinzento lá fora... eu a ler isto... apetece tanto fazer o amor