domingo, 13 de maio de 2007

DIVAGAÇÕES EXISTÊNCIAIS



O que fazemos nós aqui?
Quem somos?
De onde vimos e para onde vamos?

As eternas perguntas a que jamais conseguiremos responder. Seria mais fácil se fosse um crente e acreditasse que tudo isto foi criado por um ser superior num momento de ócio ou de grande inspiração.
Não sou crente mas se fosse gostaria de falar pessoalmente com Deus, tinha tanta pergunta para lhe fazer.

Desculpem estas divagações existênciais mas lembrei-me disto tudo ao ver este maravilhoso vídeo.

9 comentários:

avelaneiraflorida disse...

ANTECIPASTE-TE!!!!

Tinha este vídeo em lista de espera!! é fabuloso!!!!

Quanto às questões existênciais...hoje, sinceramente, só me apetecer ser!!!!!
Bjks

papagueno disse...

Avelaneira encontrei este vídeo porque fui até ao Dailymotion ver se encontrava mais qualquer coisa do Ney e deparei-me logo com ele. É mesmo fabuloso não é?

avelaneiraflorida disse...

Pois!!! andei a tentar alternativas ao YT, mas...népias!!!!

Tbm andei no DM...por isso sabia deste vídeo, e tbem lá encontrei algumas "coisas" a explorar...

wind disse...

O vídeo é maravilhoso.
Quanto à tua pergunta, só sei responder que andamos cá por uma razão qualquer, porque quase tudo tem explicações. Eu é que ainda não sei.lololol
Só sei que vou por onde me levam os meus passos:)
Beijos

SA disse...

belos efeitos especiais sem dúvida :)

Mário Margaride disse...

Olá meu amigo papagueno,

De facto, já fiz essas perguntas a mim mesmo vezes sem conta. Quem somos? O que fazemos aqui?

Escrevi em tempos sobre isso. É esse poema, que te deixo aqui.

Um abraço


PASSAGEM

Somos feitos de uma massa que perdura
Para além do tempo, e do espaço
Integrados num todo somos feitos
De tudo e do nada, aos pedaços

Somos alma e matéria misturados
Num intenso dilema existimos
Vivemos num cínico marasmo
Duma réstia de vida fugidia

Numa amálgama imensa nos tornamos
Mortais sofridos, pela dor
Somos carne e mente controlados
Pela guerra, pelo medo, pelo pavor

Somos réstia de tudo e de nada
Na passagem desta vida fugidia
Em pó e cinza nos tornamos
Na existência triste…Da alegria.

Mário Margaride

papagueno disse...

Excelente poema, muito obrigado Mário.

Ludovicus Rex disse...

Andamos aqui para alguma coisa é...

Um Abraço

Freyja disse...

siempre dejamos hablar el alma en divagaciones, nos hace tan bien, seguimos abrazando a la vida
querido amigo
no me des las gracias, para mi es un gran gusto poder decir que admiro mucho tu trabajo y tu entrega que siempre dan mucho gusto ver tu noble alma
te dejo muchos cariños y que sea una linda semana
besitos y cuidate


besos y sueños