terça-feira, 24 de junho de 2008

VIVA A NOITE DE S. JOÃO!


Alguém faz ouvir a viola:
-É ela que vai cantar!

São João lavou a cara
Na fonte de manhã cedo:
-Podes vir dançar comigo
Que eu não sou de meter medo.

No céu cor de vidro fosco
Aparecem as estrelas,
Trémulas, frias, distantes,
Como lascas pequeninas
De piquenos diamantes.

Ganha força o movimento!

E tudo baila!: - o harmónio,
Risos, guitarra, cantigas,
- Labaredas de paixão,
Despeito, nervos, ciúme,
- Coisas que os olhos não dizem
E as palavras não traduzem
Nem chegam a insunuar...

Toda a paisagem tem alma
E o ar parece vibrar!

António Botto
Aguarela Sombria (excerto)
"Canções e Outros Poemas"
Edição, cronologia e introdução de Eduardo Pitta.

7 comentários:

Um Momento disse...

"Toda a paisagem tem alma
E o ar parece vibrar!"

E vibram os olhares...
Salta o coração
Com a alegria sentida
Na noite de S.João:)))))

Adorei:))))))

Beijo !!!

(*)

Maria disse...

Que bonito, mais uma ternura de António Botto. Pessoas que têm a magia de escrever construções complexas e meninices doces, com igual qualidade são especiais. É mesmo muito belo. Um feliz dia de S. João. Beijinho.

wind disse...

Belas quadras populares:)
Beijos

wind disse...

Emendo:Belo poema popular.)

Cherry disse...

Viva o São João mesmo! Que saudades!!

Vieira Calado disse...

António Botto escreveu versos profundos e outros, simples, com sabor popular. E até tem sido criticado por isso.
Mas a verdade é que escreveu de várias maneiras e sempre bem.
Um abraço

Ema Pires disse...

Interessante ponto de vista sobre a festa do solsticio.
A imagem também é muito particular.
Bjs.