terça-feira, 11 de dezembro de 2007

SE EU NÃO MORRESSE, NUNCA...


Foto: Papagueno

5 comentários:

gasolina disse...

Será que quem entra aí para apanhar na correría a viagem de casa, lê a imensidão dessas palavras?

Beijinho

pinguim disse...

Cesário Verde escreveu "tanto" em tão pouca obra...

wind disse...

Que frase!
Faz pensar o que é a perfeição, conceito tão abstracto.
beijos

Maria disse...

E todos os meus sonhos fossem um horizonte próximo como um beijo...

Bom ler esperança!

:o)

avelaneiraflorida disse...

Cesário Verde!!!!!
O poeta de Lisboa!!!!

mas...alguém o lê?????

Que bom este teu regresso,aqui, amigo Papagueno!!!!

Bjks,Amigo!!!!