domingo, 30 de dezembro de 2007

O PINGÜIM


Bom dia, pingüim
Onde vai assim
Com ar apressado?
Eu não sou malvado
Não fique assustado
Com medo de mim
Eu só gostaria
De dar um tapinha
No seu chapéu jaca
Ou bem de levinho
Puxar o rabinho
Da sua casaca

Quando você caminha
Parece o Chacrinha
Lelé da caixola
E um velho senhor
Que foi meu professor
No meu tempo de escola
Pingüim, meu amigo
Não zangue comigo
Nem perca a estribeira
Não pergunte por quê
Mas todos põem você
Em cima da geladeira

Vinicius de Morais

7 comentários:

Um Momento disse...

Adorei reler o poema e o video então:o)))
Grata por tão belos Momentos!!!
Beijo Imenso... em ti
(*)

Gi disse...

Já restabelecida do disparate que me aconteceu e que me impediu de postar da forma (compulsiva)habitual e de visitar quem eu goso, aqui estou para te deixar um beijinho, agradecer a companhia que me tens feito ao longo deste ano e deixar-te os votos de um óptimo 2008. Vou fazer serão para ver se ponho a escrita em dia,possivelmente já não vou escrever mais nada até para o ano (também já não falta muito :) )

Um beijo grande. Feliz Ano Novo

Gi


O poema e o vídeo são uma pequena delícia.

avelaneiraflorida disse...

Simplesmente LINDOOO!!!!!

Bjkas,Amigo Papagueno!!!

gasolina disse...

Grande post video/poema.

Feliz 2008 para este Bairro!

Beijo grande para ti.

pinguim disse...

Talvez neste teu post esteja parte da explicação do meu nick; a outra é pessoal, claro.
É um animal de que toda a gente gosta, como o golfinho, e para mim tornou-se algo de "fétiche", pois tenho uma casa muito cheia de pinguins...
Abraço e votos de um excelente 2008.

Maria disse...

Ternurento... Tudo: os pinguins, o poema, as imagens. Precisamos de ternura para que os dias de regresso sejam de suavidade e sorrisos. Um bom ano de 2008 para ti. Um beijo.

wind disse...

O poema é delicioso e o vídeo do filme é lindo:)
beijos