quinta-feira, 13 de setembro de 2007

NATÁLIA


Nuvens correndo num rio

Nuvens correndo num rio
Quem sabe onde vão parar?
Fantasma do meu navio
Não corras, vai devagar!

Vais por caminhos de bruma
Que são caminhos de olvido.
Não queiras, ó meu navio,
Ser um navio perdido.

Sonhos içados ao vento
Querem estrelas varejar!
Velas do meu pensamento
Aonde me quereis levar?

Não corras, ó meu navio
Navega mais devagar,
Que nuvens correndo em rio,
Quem sabe onde vão parar?

Que este destino em que venho
É uma troça tão triste;
Um navio que não tenho
Num rio que não existe.



Fiz um conto para me embalar

Fiz com as fadas uma aliança.
A deste conto nunca contar.
Mas como ainda sou criança
Quero a mim própria embalar.

Estavam na praia três donzelas
Como três laranjas num pomar.
Nenhuma sabia para qual delas
Cantava o príncipe do mar.

Rosas fatais, as três donzelas
A mão de espuma as desfolhou.
Nenhum soube para qual delas
O príncipe do mar cantou.

Natália Correia

12 comentários:

RIC disse...

Obrigado, meu caro! Natália é sempre um regalo!
Sabe «bem» sentir o peso da última quadra...
Abraço!

wind disse...

2 poemas belos, mas tristes.
beijos

A. Jorge disse...

Foi bom recordar!

Abraço

Jorge

3vairado disse...

Quadras, como saias de raparigas, correndo para as romarias.

obrigado por no-las dar a ver.

avelaneiraflorida disse...

Papagueno,

Como foi possível não ver Natália aqui??????
Estou mesmo "avariada"!!!!!

Como sempre BELÌSSIMOS poemas...

UM BOM DIA!!!
BJKS!

papagueno disse...

Avelaneira ontem tinha acabado de editar esta postagem quando entrou o teu comentário. Por isso te deve ter escapado.

Meus amigos, a Natália, além de grande poetisa foi uma mulher de armas. Mais que justificada esta homenagem que eu fiz no dia em que completaria 84 anos.
Um abraços para todos.

Gi disse...

E eu que o fiz sem saber e nem de tal me recordaria se não mo tivesses lembrado.

Um bicho político. Pena não haverem mais bichos assim.

beijinhos

Gi disse...

Venho cá outravez. Estou fascinada com a imagem que deixaste mais abaixo a que deste o nome da semente. Por acaso sabes dizer-me o nome do autor ? Queria muitooooo

beijinhos e bom fim de semana

pinguim disse...

Natália era um vulcão!
Que falta fazem mais Natálias neste país!
Abraço.

Moura ao Luar disse...

Da poesia faço recital na minha mente, embalada pelas mãos que tocaram a folha que eternizou as palavras.

Maria del Sol disse...

É a primeira vez que cá venho, mas não posso deixar de felicitar o autor pelas escolhas literárias, e pela excelente banda sonora dos Gotan Project.

Passarei a ser uma transeunte habitual neste bairro :)

Maria Faia disse...

Olá Papagueno,

A imagem é deslumbrante e a homenagem que fazes a essa grande MULHER que deu pelo nome de Natália Correia enche-nos a alma de esperança num mundo melhor, tal como ela o sonhou e nos ensinou a sonhar também.
Parabéns Amigo.