sábado, 24 de março de 2007

QUEM É QUE ABRAÇA O MEU CORPO?


Quem é que abraça o meu corpo
Na penumbra do teu leito?
Quem é que beija o meu rosto,
Quem é que morde o meu peito?
Quem é que fala da morte
Docemente ao meu ouvido?
- És tu senhor dos meus olhos?
E sempre no meu sentido
A tudo quanto me pedes
Porque obedeço, não sei
Quiseste que eu cantasse
Pus-me a cantar... e chorei
Não me peças mais canções
Porque a cantar vou sofrendo
sou como as velas do altar
que dão luz e vão morrendo
Não me chames pelo nome
que me deram ao nascer
sou como a folha caída
que não chegou a viver
Meus olhos que por alguém
deram lágrimas sem fim
Já não choram por ninguém
- Basta que chorem por mim
O que é que a fonte murmura?
O que é que a fonte dirá?
- Ai, amor, se houver ventura
Não me digas onde está.

António Botto

4 comentários:

Miguel disse...

Não conhecia o autor ...!

Mas gostei das suas venturas ...

Os votos de UM BOM FDS!
Um abraço da M&M & Cª!

papagueno disse...

Miguel, o Botto é um poeta que passa regularmente por aqui. Cantou amores e desamores como ninguém. Foi muito polémico em vida pois esses amores e desamores que ele cantava eram diferentes daqueles que habitualmente conhecemos.

Ludovicus Rex disse...

Bom fim de semana e um grande abraço

wind disse...

Gosto muito deste poeta e este poema é lindo!
beijos