sexta-feira, 18 de julho de 2008

EXCURSÃO ÀS MONTANHAS


«Não sei», gritei eu sem ser ouvido por ninguém «Não sei».
Se ninguém vier, olha... não fiz mal a ninguém, ninguém me fez mal a mim, mas também ninguém me vem ajudar. Um bando de gente nenhuma. Bem, não é verdade. Só que ninguém me vem ajudar - um bando de gente nenhuma, por outro lado era óptimo. Adorava ir num passeio de gente nenhuma - e porque não? Num passeio às montanhas, como é óbvio. Olha a gente nenhuma a acotovelar-se, com os braços levantados, os seus muitos pés caminhando juntos! E vestidos a rigor, pois então! Lá seguimos alegremente, enquanto o vento vai soprando em volta e por entre as frestas que os nossos corpos desenham. As nossas gargantas exultam! Nem sei como não começamos a cantar!»

Franz Kafka
"Contos"
Imagem: Postais.net

6 comentários:

wind disse...

Excelente extrato.
Beijos

Belzebu disse...

Não são poucas as vezes que caminhamos por entre bandos de gente nenhuma!

Aquele abraço infernal!

Arion disse...

Faço minhas as palavras ali do Belzebu! Abraço! Bom fim-de-semana!

avelaneiraflorida disse...

OLHA, Olha!!!!
Não vamos às montanhas...mas vamos em excursão!!!!

Depois dou notícias!!!!

Bjkas, Amigo Papagueno!

pinguim disse...

Confesso que não sou um grande apreciador deste tipo de prosa - é demasiado frio e seco para o meu
gosto.
Abraço.

Zé Povinho disse...

Sem grandes complicações, antes só que mal acompanhado. Hoje desliguei o complicómetro, é domingo!
Abraço do Zé