domingo, 4 de maio de 2008

PARA A MINHA MÃE

Premières Caresses
William A. Bouguereau(1825 - 1905)


Respirar-te o sangue
bebendo-te o perfil
bordando-te o perfil
a ponto-pé-de sombra
e de flor
a ponto-pé-de amor.
Respirar-te o mover
bebendo-te o sorrir
bordando-te o sorrir
a ponto-pé-de parto
e de partir
a ponto-pé-de afago
e de flor:
minha mãe
meu amor.

Maria Teresa Horta
Obrigado Luis por me lembrares deste poema.

10 comentários:

Rato do Campo disse...

Um poema lindo para uma justa homenagem

pinguim disse...

Este poema, lindo, lindo, nunca poderia ser escrito por um homem...
A tua Mãe com cereza gostará.
Abraço.

Marreta disse...

Bela homenagem!
Saudações do Marreta.

Mada disse...

Obrigada meu filhote!
Sinto um grande orgulho por ti!
Porta-te "mal"!

Xicoraçao

wind disse...

É lindo este poema!
Beijos

avelaneiraflorida disse...

Que palavras se poderão dizer????
Estão todas aqui!!!
Bjkas!!!

Gi disse...

A ti lembraram-no, eu nem o conhecia. Mais feliz fiquei.


Obrigada aos dois

para ti acrescento um beijinho

Belzebu disse...

Não conhecia este poema da Maria Teresa Horta e é de facto lindíssimo! Uma excelente homenagem às nossas mães!

Aquele abraço infernal!

Ludo Rex disse...

Belo poema. Mãe é Mãe...
Um Abraço em Liberdade

Luís Galego disse...

Mada disse...
Obrigada meu filhote!
Sinto um grande orgulho por ti!
Porta-te "mal"!

Xicoraçao

___ gostei muito deste comentário!!!