terça-feira, 27 de maio de 2008

AGORA


Abre-te primavera!
Tenho um poema à espera
Do teu sorriso.
Um poema indeciso
Entre a coragem e a covardia.
Um poema de lírica alegria
Refreada,
A temer ser tardia
E ser antecipada.

Dantes, nascias
Quando eu te anunciava.
Cantava,
E no meu canto acontecias
Como o tempo depois te confirmava.
Cada verso era a flor que prometias
No futuro sonhado...
Agora, a lei é outra: principias,
E só então eu canto confiado

Miguel Torga

6 comentários:

gasolina disse...

Pensava eu que te oferecía um gesto e afinal chego ao Bairro e tenho Torga a receber-me...

Obrigado por tudo.

Um beijo, com saudades.

tulipa disse...

Hoje vim encontrar-me contigo, aqui neste teu belo jardim de sonhos e de flores.

Passo em silêncio para deixar um abraço.

pinguim disse...

Um belo poema de Torga que está indirectamente connectado com o tempo que tem feito...
Abraço.

wind disse...

Belo poema:)
Beijos

Nortada disse...

Tantas vezes guardamos no bolso a vontade à espera que algo aconteça primeiro, mesmo que seja a primavera...

Já tinha saudades,
Beijo

avelaneiraflorida disse...

E que chegue a Primavera!!!!
em qualquer tempo!!!!

E TORGA!!!!!
Brigados por esta partilha!!!
bjkas!!