terça-feira, 4 de março de 2008

EU NASCI EM 1931 NO DECURSO DA LEITURA SILENCIOSA DE UM POEMA


"O que sentimos fisicamente com o sexo que temos, o que as imagens
vêm procurar em nós,
não é o sexo que praticamos,
é a vibração pelo vivo e pelo novo. Chamei-lhe fulgor porque
é assim que sinto"

"Onde Vais, Drama-Poesia?"
Relógio d' Água, 2000

Maria Gabriela Llansol (1931-2008)

6 comentários:

ANTONIO DELGADO disse...

Belo titulo de uma postagem com excelente musica do Led Zeppling.

Um abraço
António

wind disse...

Excelente a passagem que escolheste, mas reconheço a minha ignorância, não conheço essa escritora:(
Beijos

avelaneiraflorida disse...

Homenagem sempre atempada, amigo Papagueno!!!!

No Jornal que leio também apareceram interessantes referências a esta escritora!!!!
Mais pistas para eu seguir...

BRIGADOS!!!!
Bjkas!

gasolina disse...

Gostei da definição apresentada entre sexo e poder das palavras.
Fulgor.
Vida.

Tenho que descobrir mais acerca desta senhora.

Um beijo

pinguim disse...

É uma escritora que já ouvi falar bastante, mas da qual nada li, ainda...

Maria disse...

Claro que nos faz chorar, o título, as palavras, a memória, não a termos mais. E nunca se perde quem está em nós... Beijinho.