domingo, 2 de março de 2008

CREIO NOS ANJOS QUE ANDAM PELO MUNDO



creio nos anjos que andam pelo mundo,
creio na deusa com olhos de diamantes,
creio em amores lunares com piano ao fundo,
creio nas lendas, nas fadas, nos atlantes;

creio num engenho que falta mais fecundo
de harmonizar as partes dissonantes,
creio que tudo é eterno num segundo,
creio num céu futuro que houve dantes,

creio nos deuses de um astral mais puro,
na flor humilde que se encosta ao muro,
creio na carne que enfeitiça o além,

creio no incrível, nas coisas assombrosas,
na ocupação do mundo pelas rosas,
creio que o amor tem asas de ouro. amém.

Natália Correia



«All I see turns to brown, as the sun burns the ground
And my eyes fill with sand, as I scan this wasted land
Trying to find, trying to find where I've been.»


"Kashmir", Led Zeppelin
Fotos: Steve McCurry

11 comentários:

gasolina disse...

Fotografias que enchem os olhos.
Palavras da Natália Correia que enche a alma.
E um toque de especiarias de Led para o coração.

Trio perfeito, Papagueno!
Belissimo post!

Beijinhos e óptimo Domingo para este Bairro cheio de amor.

wind disse...

Belo o poema e maravilhosas as fotografias!:)
Lindo post:)
Beijos

Luís Galego disse...

este soneto de Natália Correia sei-o de cor e acredita que faz parte das minhas orações. Só uma mulher com a dimensão e a força de Natália conseguiria escrever algo com esta magia e beleza.

avelaneiraflorida disse...

Não Posso comentar, amigo Papagueno!!!!

qualquer coisa que escrevesse quebraria o encanto!!!!

Bjkas!!!

Fátima disse...

Amigo,

Lindo poema e lindas fotos!
"creio que tudo é eterno num segundo".

:-) Beijo

RIA disse...

Palavras lindas para imagens viajantes.

papagueno disse...

Ria muito obrigado pela visita e pelo comentário. As portas do Bairro estão sempre abertas.
Beijos

Marreta disse...

E creio nos homens bons de carne e osso que andam pelo mundo, ou não fosse esta a terra adoptiva de um deles: Gandhi.
Uma bela mistura de Natália Correia, Led Zeppelin e fantásticas imagens da India.
Saudações do Marreta.

O Guardião disse...

Boas fotografias e música acompanhar as palavras da Natália Correia. Hoje eu fui pelo Jorge de Sena e escolhi um dos poemas mais polémicos e mais criticados, quando não escondidos, por alguns professores de literatura.
Cumps

ANTONIO DELGADO disse...

Mais do que o poema adorei as foto e explico. Devido a problemas de educação no tempo da outra senhora (instrução primária) era obrigado, assim como os meus colegas, a decorarem todas as poesias que surgiam nos livros de leitura e a recitá-las de cor com castigos para quem não o fizesse. Isto fez, a mim e a muitos colegas da minha geração ter-mos alguma distancia em relação a esta sublime forma de arte. Gosto de poesia mas não sou um verdadeiro aficionado.

Um abraço
António Delgado

pinguim disse...

Mais uma das tuas fabulosas trilogias, mas aqui Natália eleva-se, tão alto como só ele sabia até onde; como diz e bem o L.Galego é uma oração apaixonante.
Abraço.