segunda-feira, 4 de maio de 2009

KONIEC

Vasco Granja (1925-2009)

Quantos de nós não se apaixonaram pela Banda Desenhada ao ler os textos que ele escrevia na Revista Tintin?
Quem é que não aprendeu a dizer "fim" em polaco?
Se hoje gosto de BD a ele o devo, Vasco Granja foi um dos homens que mais marcou as crianças da minha geração.

Bons tempos em que tinha que gramar as animações de Leste para depois ver o Bugs Bunny ou a Pantera Cor-de-Rosa. Ainda adoro o Bugs e a Pantera, mas aprendi a ver e a gostar dos outros.




Bons tempos em que tinha que gramar as animações de Leste para depois ver o Bugs Bunny ou a Pantera Cor-de-Rosa. Ainda adoro o Bugs e a Pantera, mas aprendi a ver e a gostar dos outros.
Este genérico do filme "A Pantera Cor-de-Rosa" é fabuloso, talvez até melhor que o próprio filme. Pena que Hollywood tenha perdido a tradição dos grandes genéricos no cinema.

6 comentários:

Maria Romeiras disse...

Homenagem bem justificada. Vasco Granja marcou-nos a infância e o imaginário, seduziu-nos para uma estética diferente, mais pensada. Ajudou-nos a crescer e a sorrir. E também nos ensinou que tudo pode ter um fim com um sabor a sorriso.

Mandillo disse...

Eram momentos de sonho... Ali começou o meu amor por marionetas tb... Uma boa alma!

pinguim disse...

Oportuno post, meu amigo, homenageando um homem que contribuíu muito para a divulgação do cinema de animação no nosso país.
Abraço.

wind disse...

Bela homenagem! Lembro-me perfeitamente dele.
Adorava ver a Pantera e este genérico está de facto espectacular!
Beijos

Marreta disse...

Homenagem oportuna a um homem que pela sua rectidão enquanto pessoa e profissional lhe é inteiramente merecida.
Um homem que soube transformar a Tv num verdadeiro serviço público.

Saudações do Marreta.

VAP disse...

Bonita homenagem!