quarta-feira, 1 de julho de 2009

ESTADOS DE ALMA

Sappho (1877)
Charles Menguin


Não sei o que fazer: o meu coração está
dividido.

*

A Lua e as Pléiades estão deitadas, o tempo
passa e estou sozinha no meu leito, no
meio da noite.

*

As crianças trazem bonitos presentes e
ouve-se tocar melodiosa lira.

*

Mas a velhice já enrugou toda a minha
pele, os meus cabelos negros tornaram-se
brancos, os joelhos já não me aguentam, e
eu que parecia uma corça.

*

Que posso fazer? É inevitável: a aurora de
braços rosados leva-nos para a cova. Mas eu
ainda amo a volúpia e o amor tem para mim
o brilho e a beleza do sol.

*

Eu estremeço e a velhice já cobre a minha
pele.
o amor evade-se na perseguição dos jovens.

Agarra na tua lira e canta-nos, Afrodite,
com os seios cobertos de violetas.

Safo, "O desejo"
Trad. Serafim Ferreira
Editorial Teorema, 2003

2 comentários:

wind disse...

Sempre lindas estas poesias e tu com o teu bom gosto:)
Beijos

Mandillo disse...

É lindo, especialmente lindo!!!