quarta-feira, 17 de junho de 2009

STRAVINSKY E BÉJART





Hoje, como muito bem lembra o Google, comemoram-se os 127 anos do nascimento de Igor Stravinsky.

Oportunidade para recordar um dos maiores coreógrafos de sempre; Maurice Béjart (1907-2007)
O coreógrafo francês foi o homem que no dia 6 de Junho de 1968, em pleno Coliseu dos Recreios, anunciou o assassinato de Robert Kennedy. Após um duro discurso contra todas as ditaduras seguiu-se um ensurdecedor minuto de silêncio. Nessa mesma noite, a PIDE foi buscá-lo ao seu quarto de hotel e só largou na fronteira com Espanha. Logo após o 25 de Abril regressa a Portugal para apresentar o mesmo espectáculo; Romeu e Julieta.
Em 1998 foi agraciado pelo Presidente Jorge Sampaio com a Ordem do Infante D. Henrique. Viria a falecer em Lausanne a 22 de Novembro de 2007.


Para a história ficam belas coreografias como esta Sagração da Primavera, Romeu e Julieta ou o inesquecivel Bolero de Ravel imortalizado na fabulosa sequência final do filme de Claude Lelouch Les uns et les autres (1981).

Le Sacre du Printemps é um bailado em dois actos que conta a história de uma jovem imolada ao deus da Primavera, num ritual para trazer boas colheitas à tribo.
A música composta por Stravinsky foi algo de completamente revolucionário para a época e marcou a entrada no modernismo. O bailado estreou no Teatro dos Campos Elíseos em 1913 e foi brindado com uma vaia monumental.

Aqui está um excerto da coreografia de Béjart Para a Sagração da Primavera; Um bailado vivo e pleno de sensualidade tal como era seu timbre.

4 comentários:

pinguim disse...

Tive a sorte e a honra de ter presenciado ao vivo no Coliseu esse inolvidável momento de que falas, a 6 de Junho de 1968. Jamais o esquecerei...
Abraço.

wind disse...

É sempre um prazer ver um bailado de Béjart:)
Beijos

lady.bug disse...

ando em falta com as visitas ao Bairro...

Mandillo disse...

Béjart et oui!!! PLIM